“E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles, e disse: em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.” Mt 18:2-4

O que significa isso para você? Aproveitando esse momento de final de ano, onde um ano termina e o “novo” começa, quais qualidades você precisaria resgatar para ser como Cristo nesse exato momento? Talvez o desejo de confiar. O desejo de arriscar. O desejo de “pular”. Talvez esse seja o momento de você fazer alguma coisa grande para Deus. Algo que faça você mudar de vez. Afinal, quem tem o controle de sua vida? O que vem a sua mente quando você pensa em Deus? Ele é onipotente ou impotente? Soberano ou distante? Onipresente ou disponível? Punitivo ou bondoso? Capaz ou não faz diferença? Ele é criador ou desmancha prazeres?

Quando nosso conceito de Deus é redutivo, o mesmo acontece com a coragem de fazer algo por Ele. Mas se nosso conceito estiver correto será impossível alguém nos impedir de fazer qualquer coisa para o Reino. Portanto, qual é o tamanho do seu Deus? A reposta a isso não reside em nossas palavras, mas na substância das ações realizadas para Ele. Seu conceito de Deus é tão importante que quando está ausente você sofre, seus relacionamentos sofrem e sua missão para Deus no mundo sofre. Realmente, a vida de nenhum homem, que vive para Deus será maior do que a visão que ele tem de Deus. É por isso que Jesus a ninguém temia. E quanto a você? Não importa se são as pessoas, os obstáculos, os sonhos, os problemas, etc. Nenhuma questão de sua vida é maior do que o seu Deus. Se Ele quer que algo aconteça nada poderá impedir. E se não acontecer de modo algum, o propósito dele será realizado de outra forma. Logo, você não tem como perder. A fidelidade e o propósito de Deus sempre prevalecerão.

Arrisque-se, não diminua a majestade de Deus.

Pra. Giselle Paiva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *